o afeto na fotografia, na Semana de Fotografia do Recife…

Foto: José Albano
                                                       
Existem coisas que tomam conta do nosso coração que é bom até nos afastarmos um pouco para que não haja infartes ou falta de ar… Ui!
Tive a oportunidade de participar da IV Semana de Fotografia de Recife que aconteceu de 17 a 21 deste mês, como já tinha escrito neste blog. Num movimento de resistir a escrever a respeito do momento pós-volta de Pernambuco para São Paulo – pois minha cabeça fervilhava e eu quase fiquei mais louca ainda com tanta informação – preferi me guardar um pouco até escrever este post. Enfim, vamos a ele…
Claro que a maioria dos que visitam aqui o Fotograficaminhamente sabem de meu amor pela terrinha e do quanto recarrego minhas baterias indo para aquelas bandas de lá… Mas dessa vez foi recarregar demais mesmo!!! Muita informação boa, mas ufa… Socorro!!
Para alguns, bem alguns poucos mesmo – ainda bem (!) – uma Semana com “poucas atrações”(?!). Talvez esperassem um circo, um teatro, um evento com fogos de artifício. Não!! Foi uma Semana muitíssimo boa e tranquila… Tranquila para os de fora (pois vimos a produção quase se matando de trabalhar para que corresse tudo lindo e perfeito), mas nem por isso menos intensa. Oficinas ricas em conteúdo, em trabalhos, em discussões, em encontros, cafés da manhã regados a conversas demoradas e gostosas… Palestras exaustivamente necessárias de idéias e pensamentos questionadores e reveladores sobre a fotografia e seus desdobramentos e detonadores emocionais. Digo isso porque foi uma avalanche de afetividade na execução e na participação da Semana como há muito não via em eventos relacionados à fotografia.
Saliento que não desmerecendo outros grandes e pequenos (?!) eventos relacionados à temática da imagem fotográfica, mas realmente a comunhão entre os convidados e os ouvintes, alunos e equipe de trabalho foi grandiosa. Em princípio pensei que meu sentimento foi pelo meu sempre e eterno lado passional a respeito de Pernambuco, mas quando ouvi de todos os participantes vindos de vários cantos do país os mesmos comentários sobre o que aconteceu na vivência dos personagens fotógrafos, teóricos fotógrafos, professores fotógrafos, pude comprovar que não era uma paixão louca que tinha tomado de assalto meu juízo… Foi emocionada e emocionante a Semana de verdade!!!
O professor Antônio Fatorelli, da Comunicação da UFRJ, concedeu uma palestra que fez todos engasgarem sobre o tema tempo e novas mídias. Leiam seu livro: “Fotografia e Novas Mídias“.
Nadja Peregrino, que é carioca + pernambucana, sempre com apuro teórico e sua concepção sobre curadoria muito clara e firme. Mesmo há muito tempo conhecendo o seu trabalho, percebe-se que sempre é uma nova e atual Nadja.
Fernanda Magalhães com seus depoimento e trabalho emocionantes, corajosos e fortes sobre a mulher gorda e nua na fotografia. Consumo, beleza, imagem, identidade, preconceito, racismo, tudo veio à tona nesta discussão.
E Alexandre Sequeira que fez todos presentes a sua palestra naquele Centro Cultural dos Correios do centro do Recife pensarem numa missão quase religiosa quanto à fotografia!!! Poesia e força conceitual num trabalho belo e fundamentado. E novos e novos trabalhos deste pesquisador/ fotógrafo/ iluminado nato. Sequeira trouxe sem exagero algum, tenho certeza, novas perspectivas de análise e execução da fotografia.
Foto: Alexandre Sequeira

Dirceu Maués, com suas invejáveis câmeras artesanais e sua paciência e delicadeza no trato com a imagem e com todos.
Paulo Pereira, do Estúdio Luzia quase um pernambucano de nascença, saiu daqui de São Paulo com várias idéias na cabeça e uma câmera educadora visual na mão. Pôs suas ferramentas na mesa e partiu para o ataque pensante. Os alunos e os meninos do Fotolibras agradeceram demais!!
E tive o prazer de conhecer pessoalmente Mila Targino, com seu lindo trabalho de pesquisa sobre impressão fotográfica em metal e outros tantos suportes. Chamei seu trabalho de “veludo azul da fotografia”! Belo, belíssimo!
E o excelentíssimo senhor cearense José Albano????? Que fotos são aquelas???!! Queria pelo menos uns 5 minutos diários da filosofia de vida deste mestre da fotografia para renascer a cada dia mais fortalecida… Fabuloso!! Busquem saber mais dele!! Ele e vocês merecem.
O sempre presente Evandro Teixeira, que mesmo cansado de várias viagens que havia feito, contagiou seus alunos e fãs e tomou café da manhã todos os dias com um largo sorriso e suas histórias divertidas e respeitosas do fotojornalismo!! Um aluno seu, Arthur Soares, talento novo de Sergipe impressionou o mestre.
Ricardo Peixoto naturalmente revolucionário e educador nas suas abordagens e na sua leitura de portfólio… Queria ter ficado mais perto para aproveitar mais do mestre.
………..
Houve dias que a temperatura mínima era de 32 graus na cidade! Para mim um paraíso… Enfim, coisas de tipo sanguíneo, talvez quem sabe! Mas o calor, além de cozinhar exatamente os juízos, proporcionou uma união e afeto danados de bons dos participantes!!
Os agradecimentos a equipe da Semana, Betika, Mayra, Maria, Rafael, Sabrina linda, Silvana, Aninha, minha Aninha Lira forte e querida, Enaile, Caramiolas, Bel, Bruna, Chico Ludermir, Queiroga, com seu apuro para as palestras, enfim, a todos que não citei aqui, mas nem por isso esquecidos. E principalmente a Mateus Sá, o coordenador geral desta empreitada que me emocionou ao se emocionar no encerramento no Museu Murilo La Greca. E novamente digo: vá com fé, meu querido, vá sempre adiante!! O barco estava certinho no prumo e o mar estava pra cardumes diversos e com um sol lindo iluminando tudo!! Parabéns mesmo pela organização! E novamente muito obrigada pelo convite e pela oportunidade de vivenciar este que foi um dos períodos mais encantadores e afetuosos que todos viveram na dinâmica fotográfica da vida e dos encontros.
A minha oficina… Bem… Minha oficina vem no próximo post porque não sou de ferro…
Anúncios
Esse post foi publicado em Alexadre Sequeira, Antônio Fatorelli, Dirceu Maués, Evandro Teixeira, Fernanda Magalhães, iv semana de fotografia, José Albano, Nadja Peregrino, oficinas de fotografia, Paulo Pereira. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para o afeto na fotografia, na Semana de Fotografia do Recife…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s